Como calcular quanto vou receber de férias

As férias sempre são muito esperadas pelos trabalhadores e além disto é um direito conquistado abaixo de muita luta. Por isso se você é um trabalhador registrado, você terá o direito a férias. Por isso aprenda a seguir como calcular as férias, e não confie apenas no cálculo que seu empregador realizar.

A maioria dos trabalhadores não sabem realizar o cálculo de suas férias, e muitas vezes acabam sendo passados para trás por seus empregadores.

A partir disto, em uma tentativa de acabar com este problema, iremos ensinar passo a passo como calcular as férias. Por isso não deixe que este momento que é especial possa gerar dores de cabeça, conheça a seguir seus direitos.

Como calcular quanto vou receber de férias 01

Quem é que tem direito as férias?

Será que você poderá mesmo tirar suas férias? Se você trabalha em regime CLT, seu direito a férias se inicia depois de 12 meses de vínculo com a sua empresa.
Este é um período chamado do período aquisitivo. O que é completado nos 12 meses de vínculo e se inicia um período concessivo. Este período compreende os 12 meses sequenciais ao período aquisitivo. As férias precisam ser tiradas obrigatoriamente durante o período concessivo.

Quem tem direito a férias são os trabalhadores em regime CLT, Servidores Públicos, Empregadas Domésticas, Estagiários desde que sigam algumas regras.

É importante deixar claro que os estagiários não possuem um direito a um abono salarial equivalente de 1/3 do seu salário.

Como deve ser realizado o cálculo de férias

Aqui no Brasil o cálculo das férias ocorre através da soma do seu salário e mais 1/3 dele. Esse é um acréscimo chamado de abono constitucional.

Ou seja, se um profissional recebe um equivalente de R$ 1200 em um salário, deverá receber + R$ 400 totalizando um equivalente de R$ 1600.

Isso é o valor básico, além disto em complemento da informação é possível o trabalhador vender 1/3 de suas férias. Com isto ele terá direito ao chamado abono pecuniário, e além disto existem alguns descontos que precisam ser levados em conta. São descontos obrigatórios relacionados ao INSS e ao Imposto de Renda Retido na Fonte.







Sem Comentários.

Deixe um Comentário