Concurso SEE – SP 2017 – Edital, Inscrições

As escolas estaduais admitirão novos diretores por intermédio de um concurso  da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo, a SEE. Esse, que é um dos poucos editais grandes de 2017 para o setor da Educação, terá inscrições até metade de julho e todos os contratados serão na modalidade efetiva.

As escolas nas quais esses funcionários vão ser postos ficam em muitos municípios e a avaliação dos títulos será considerada.

O que os diretores escolares fazem?

Apesar de essa função profissional ser bastante conhecida, especificamente pelos que têm filhos nas escolas, alguns profissionais ainda não sabem o que  os diretores fazem. Na verdade, alguns professores querem candidatar-se, mas têm preocupação porque não sabem exatamente quais serão as suas atribuições.

O diretor é aquele que vai representar a unidade escolar em reuniões de desempenho, que responderá por todas as deficiências que os seus funcionários tiverem, que tratará da organização geral e que deverá tratar da qualificação. É claro que o diretor, sozinho, não pode criar cursos ou capacitar os professores, mas pode pensar, juntamente ao seu coordenador, em atividades que sirvam para que os docentes desenvolvam-se.

Como se inscrever?

Para candidatar-se a diretor escolar, os profissionais acessarão https://www.nossorumo.org.br/ até o dia 17 de julho. Para ser diretor, o interessado precisará ter o curso de Pedagogia e, normalmente, a rede estadual pede que esse indivíduo já seja professor há cinco anos ou mais. A razão é que isso fará com que ele entenda a dinâmica das unidades escolares.

Os professores que são especialistas, ou seja, que dão aula de apenas uma disciplina, também podem ser candidatos se tiverem o curso de Pedagogia também ou cursos similares que podem ser especificados no edital.

Condições do diretor

Os aprovados para serem diretores de escola receberão entre os R$ 2.800,00 e os R$ 3800,00, considerando qual será a sua jornada. Alguns profissionais já são da rede municipal ou até têm cargo em escolas particulares, tendo uma jornada menor como diretor e, por isso, recebendo menos.