Concurso TST 2017- Edital e Inscrição

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) apresentou o seu edital para que 52 colaboradores sejam contratados. O que fazia com que muitos interessados estivessem aguardando é que os salários para esse órgão público são bem altos: espera-se que alguns dos colaboradores recebam mais de R$ 10.000,00 a cada mês.

O concurso para o TST em 2017 vai ter cotas que são exclusivas para os inscritos que assinalem ser negros ou ser pardos, lembrando que os candidatos com alguma deficiência também são inseridos nessa cota. Ao todo, a quantidade de vagas para as cotas é de 12.

As oportunidades para esse órgão incluem Taquigrafia, Contabilidade, Tecnologia da Informação, Administração e mais. Destaca-se que as vagas são para colocações de suporte técnico e também para o apoio especializado, sendo todas elas efetivas.

Para participar, os candidatos ao TST precisem apresentar ensino técnico e é fundamental que se tenha acabado o ensino médio. Todas as cargas horárias serão de 40 horas semanais e ressalva-se que os profissionais do Tribunal Superior do Trabalho podem ter hora extra.

Além disso, a contratação deles vai incluir recolhimento de Fundo de Garantia e a totalidade dos direitos que os servidores públicos possuem, inclusive hospital especial. Vale dizer que alguns funcionários terão em seu holerite a gratificação judiciária.

As provas para estar no Tribunal Superior do Trabalho serão intensas: existindo uma etapa discursiva, também será aplicado aos inscritos um teste objetivo. É claro que a banca também vai considerar a apresentação dos títulos, embora eles tenham utilidade somente no campo classificatório.

 

Inscrição

Os que querem trabalhar no TST vão procurar a Fundação Carlos Chagas por meio da página http://www.concursosfcc.com.br/ até o dia 22 de setembro. A banca finalizará as inscrições às 14 horas e os candidatos vão ter taxa entre os R$ 120,00 e os R$ 80,00.

Uma sugestão para qualquer um dos candidatos a esse tribunal é visualizar todas as provas antigas que a Fundação Carlos Chagas já aplicou, especialmente com relação à parte judiciária, para saber das legislações cobradas e de como elas são citadas.