Possíveis temas para a Redação do ENEM 2018

Os temas que o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) usa a cada ano sempre fazem com que os professores especulem, assim como os estudantes.

Uma das causas para que as redações sejam tão esperadas é que o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) usa-as para que os estudantes sejam aprovados e muitos programas educacionais que ofertam bolsas de estudos têm exatamente a redação como uma das suas formas de critério.

Possíveis temas para redação de 2018

O INEP determina os temas sempre em consonância com os especialistas que criam as provas. Todos avaliam quais são os assuntos que mais tiveram importância no ano e, dentre eles, escolhem algum para que os estudantes escrevam a respeito. Porém, já houve provas nas quais o INEP usou temas que não ficarão em tanta evidência.

Direitos trabalhistas

Esse é um assunto que pode ser usado em 2018 porque a reforma trabalhista já ocasionou bastante discussão. O que se espera é que os estudantes precisem mencionar se concordam ou não, recordando que os textos dissertativos, que são os requeridos pelo ENEM, usam argumentação.

Notícias falsas

Esse é um tema que poderia ser inserido em qualquer ENEM, já que as notícias falsas sempre estão em circulação. Todavia, o exame pode requerer que o estudante reflita não apenas sobre as infamações que são mesmo fakes, mas sobre o uso que muitos acusados fazem desse tipo de argumento. Outra reflexão que poderá ser estimulada é até que ponto os cidadãos encontram credibilidade na mídia.

Geração de energia

Alguns professores têm a esperança de que os estudantes tenham de tratar sobre como o país poderia criar mais geração de energia. Sendo esse o tema, os participantes precisarão ter tanto uma argumentação ambientalista, já que a geração de energia afeta o ambiente, quanto financeira.

Inclusão digital 

A universalização da Internet pode fazer com que os estudantes achem que o ENEM não usará esse assunto. Porém, esse recurso ainda falta em muitos espaços, inclusive pela não existência de verba.