Projeto pode proibir Concurso para Cadastro de Reserva – Informações

Um projeto que foi aprovado no Senado está causando uma série de polêmicas, especialmente entre aqueles que estão tentando conseguir uma vaga no através de concursos públicos. A proposta é deixar os processos seletivos feitos para que uma pessoa comece a trabalhar em um órgão público mais claras. Alguns acreditam que os candidatos vão se beneficiar, enquanto outros acreditam que pode diminuir a quantidade de oportunidades.

Uma das principais alterações que a proposta acaba fazendo na forma de contratação é o término do chamado cadastro reserva, que são aquelas provas nas quais os candidatos podem passam por todo o processo seletivo, acabam sendo aprovados na prova, e ficam esperando um tempo até serem efetivamente contratados. O pior de tudo: muitos nem chegam a ser chamados efetivamente.

Muitas pessoas acabam largando tudo em prol da preparação para este tipo de concurso. Afinal de contas, as seleções estão cada vez mais concorridas, e realmente exigem que os candidatos se preparem para conseguirem ser aprovados. Mas quando passam para uma prova de cadastro reserva, os candidatos podem acabar ficando “de molho” muito tempo antes de efetivamente começar a trabalhar.

Projeto pode proibir Concurso para Cadastro de Reserva - InformaçõesDe acordo com a chamada Lei de Geral de Concursos, que ainda precisa ser votada pela Câmara dos Deputados, qualquer seleção feita exclusivamente para formação de cadastra reserva ou ainda com oferta simbólica de vagas estará proibida. Além disso, a lei acaba alterando alguns outros pontos.

Um deles é com relação ao lançamento do edital, que deverá ser feito com, pelo menos, três meses de antecedência da prova. Um outro ponto que também é importante e que está sendo previsto como alteração nesta Lei Geral de Concursos é a proibição de qualquer concurso público realizado antes que todos os aprovados no concurso anterior tenham sido contratados.

O valor da taxa de inscrição também será regulamentado pela Lei, que vai fixar o valor de 3% da remuneração inicial do cargo. Por enquanto, todas estas mudanças vão valer apenas para os concursos a nível federal. O projeto ainda não tem previsão para ser votado na câmera dos deputados.

        






Sem Comentários.

Deixe um Comentário