Cálculo do 13º salário em 2020 – Integral, Proporcional

Um dos direitos trabalhistas mais valorizados por todos é o décimo terceiro salário, que corresponde a um ordenado a mais que as pessoas registradas como CLT recebem no segundo semestre do ano.

Geralmente, os empregadores fazem o pagamento em duas vezes e ele é uma garantia a todos os funcionários, até mesmo para quem não esteve o ano inteiro na empresa. Nesses casos, precisa-se determinar o que é chamado de proporcional.

Veja como isso funciona.

 

Proporcional

Imagine-se um funcionário que recebe R$ 2.300 por mês (bruto) e que foi admitido na empresa no mês de julho. Neste caso, ele terá trabalhado nesse local por cinco meses até que 2020 seja encerrado.

Primeiramente, ele terá de dividir os R$ 2.300 por 12 e o valor será R$ 191,60. Depois, ele terá de multiplicar esses R$ 191,60 por cinco, que é a quantidade de meses trabalhados até o final de 2020. Neste caso, seu décimo terceiro proporcional será de R$ 958.

 

E o décimo terceiro integral?

Não é preciso fazer nenhum cálculo para o décimo terceiro integral: o funcionário que trabalhou na mesma empresa durante todos os meses do ano vai receber uma remuneração integral e extra no final do ano.

Nestes casos, o empregador costuma pagar 60% em uma parcela e os 40% restantes na outra, depositada em dezembro.

Ainda usando como exemplo a pessoa que recebe R$ 2.300 de salário, ela receberá R$ 1.380 em sua primeira parcela do décimo terceiro, que tende a ser depositada entre agosto e setembro. Já os R$ 920 restantes são depositados no mês de dezembro.

Todos esses valores são extras, ou seja, o funcionário ainda receberá o seu salário de R$ 2.300 normalmente nos meses em que as parcelas do décimo terceiro forem recebidas.

 

O que acontece se ocorre justa causa?

O trabalhador que sai da empresa por justa causa não pode receber o décimo terceiro salário proporcional. É devido a isso, dentre outras coisas, que advogados trabalhistas sempre recomendam acordos na hora de sair de um emprego.