Como calcular rescisão de contrato 2019 – saldo de férias, 13º salário

Quando um profissional rescinde o seu contrato, ou a própria empresa faz isso, é necessário que o seu proporcional dos direitos trabalhistas seja quitado. É por causa disso que se diz que é preciso fazer o cálculo da rescisão de contrato, coisa a qual o segmento de Recursos Humanos tem muita atenção.

Sempre que uma rescisão é calculada de forma errada, o trabalhador ganha o dinheiro até de processar a empresa. Além disso, os profissionais estão aprendendo a calcular por si só e, com isso, contestam muito mais qualquer equívoco que o RH cometa.

O que é preciso calcular?

Alguns dos direitos trabalhistas que precisam ser calculados em caso de rescisão são as férias, o fundo de garantia, o próprio salário e o décimo terceiro. No caso de a empresa demitir, ela também tem de calcular o aviso prévio. Para fazer os cálculos, será necessário o salário bruto do funcionário, as porcentagens de benefícios trabalhistas e os dias que ele trabalhou.

Como realizar alguns dos cálculos

O RH tem de analisar se as férias são proporcionais ou se são vencidas. No caso de elas serem proporcionais, o salário será dividido por 12 e a quantia será multiplicada pela quantidade de meses que o funcionário trabalhou antes da rescisão. A esse resultado vai ser acrescentada a sua terceira parte.

Para as férias vencidas, basta dividir o salário por três e acrescentar a terceira parte a uma remuneração mensal inteira. Se o colaborador recebe R$ 3.000,00, a sua terceira parte será R$ 1.000,00; então, suas férias vencidas serão R$ 4.000,00.

Para o FGTS, é preciso colocar 8% da remuneração a cada mês. A respeito do salário, basta que se divida a remuneração bruta por 30 para identificar o valor diário; depois, multiplica-se pela quantidade de dias que esse indivíduo tem a receber. No caso do 13°, o cálculo é igual ao das férias proporcionais, mas sem adicionar a terceira parte. Assim, a rescisão do colaborador é a junção de todas essas quantias.




Comentar