Como contratar jovem aprendiz na minha empresa?

A contratação de jovens aprendizes é uma obrigatoriedade que as empresas precisam respeitar, já que é estipulada pela Lei de Aprendizagem.

Sendo assim, todas as empresas que não têm jovens aprendizes em seu quadro funcional estão descumprindo uma regra. Para evitar isso, é fundamental saber como esse tipo de contratação funciona.

Top view of young students standing together looking up at camera with their hands raised in celebration.

Quem é o jovem aprendiz?

É necessário que o jovem admitido como aprendiz esteja dentro de certos parâmetros, como ter de 14 a 24 anos de idade e ainda estudar em algum ciclo da educação básica (não importa se é escola particular).

Caso a empresa queira contratar um jovem aprendiz que seja portador de deficiência, não precisará se preocupar com a idade, porque ela passa a ser ilimitada.

É importante lembrar que a empresa precisa fornecer a esse aprendiz um curso de qualificação. Dessa forma, uma parte da carga horária do aprendiz será no curso e a outra parte será dentro da empresa.

Cabe destacar: o jovem aprendiz não tem participação no pagamento do curso, que é feito somente pelo empregador.

 

Como fazer a seleção do jovem aprendiz

A empresa pode usar com os jovens aprendizes o mesmo sistema de recrutamento e seleção que usa com os demais funcionários.

Todavia, é claro que os requisitos usados serão bem menos exigente: é preciso não solicitar muitos conhecimentos aos aprendizes.

Cabe dizer que os jovens aprendizes só podem trabalhar até 8h diárias e que o empregador não pode afetar o comparecimento e desenvolvimento deles na escola.

 

Quais são os cursos que o jovem aprendiz pode fazer?

Quando uma empresa começa a contratação de jovens aprendizes, é normal não saber quais são os tipos de cursos que podem ser oferecidos a eles.

No entanto, as instituições costumam ter grande variedade, como a aprendizagem técnica em Enfermagem, ideal quando a empresa contratante é um hospital ou qualquer outra do setor de saúde.

Vale salientar que os benefícios que as empresas disponibilizam aos jovens aprendizes variam, mas que é obrigatório que haja uma bolsa auxílio.