Como renegociar o FIES? Prazos e dicas

Os estudantes que solicitaram o Financiamento Estudantil (Fies) em 2017 têm de ficar atentos às alterações no período de renegociação: 10 de outubro. A informação foi divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) no final do mês de julho e está disponível no Diário Oficial da União.

Essa renegociação está sendo oferecida a estudantes que estão há mais de três meses sem pagar as parcelas do financiamento e, até agora, a dívida total ultrapassa R$ 11.000.000.000,00.

Como funciona o Fies

O Financiamento Estudantil (Fies) serve para que as pessoas possam receber uma espécie de empréstimo do Ministério da Educação: este paga todas as mensalidades do curso superior escolhido e, após formado, o estudante faz o pagamento das parcelas ao MEC.

Apesar de bastante gente pagar regularmente Financiamento Estudantil, há um número alto de inadimplentes e é a esse público que essa proposta de renegociação se destina. O governo federal estima que há meio milhão de estudantes universitários com o seu Fies em atraso.

Como renegociar o Fies em 2019

É só o estudante com o financiamento atrasado contatar o banco e pedir a renegociação, com a vantagem de que ela poderá ser em quatro anos. Esse, aliás, é um ponto que ajuda muito os inadimplentes do Fies porque essa opção de parcelamento não era oferecida antes: quem estivesse devendo teria de quitar as mensalidades atrasadas de forma imediata para renegociar.

É importante deixar claro que só poderão fazer a renegociação os beneficiários do financiamento que não estiverem com nenhuma ação judicial. A estruturação dos pagamentos será a seguinte:

 

  • R$1.000,00 à vista ou 10% do valor devido – o beneficiário será obrigado a ficar com a opção que representar maior valor;
  • O resto será dividido a partir de 48 meses

Dicas para renegociar o Fies

  • O beneficiário do Financiamento Estudantil tem de levar ao banco todos os documentos relacionados ao programa, inclusive seu contrato;
  • Se houver dúvidas sobre o financiamento, o estudante pode tentar a orientação de um advogado;
  • Analisar todas as opções de renegociação que o MEC tiver disponível.





Comentar