Como se cadastrar no auxílio emergencial pelo Correios

A empresa estatal Correios foi recrutada pelo Ministério da Cidadania para facilitar a inscrição de pessoas que estão precisando do auxílio emergencial. Até o momento, esses cidadãos tinham que baixar o app do auxílio, feito pela Caixa Econômica Federal, e fazer todo o pedido eletronicamente.

O problema é que existe uma parte da população que não tem acesso constante à Internet e, com isso, fica prejudicada ainda que precise muito dos R$ 600,00. A partir de agora, essas pessoas contarão com a possibilidade de pedir esse benefício de modo presencial.

Porém, para que as agências dos Correios não sejam palco de novas aglomerações e disseminação do coronavírus, o Ministério da Cidadania fez um cronograma de atendimento para os cadastros.

 

  • Quem nasceu em janeiro ou fevereiro poderá se cadastrar nos Correios às segundas-feiras;
  • Quem nasceu em março ou abril poderá se cadastrar às terças-feiras;
  • Quem nasceu em maio ou junho poderá se cadastrar às quartas-feiras;
  • Quem nasceu em julho, agosto ou setembro poderá se cadastrar às quintas-feiras;
  • Quem nasceu em outubro, novembro ou dezembro poderá se cadastrar às sextas-feiras.

 

Vale dizer que os demais serviços dos Correios continuarão em funcionamento, como a retirada e o envio de encomendas.

Os critérios para pedido do auxílio emergencial presencial são os mesmos já noticiados pelo governo federal:

 

  • Desempregados;
  • Profissionais autônomos, que estão sem renda por causa da pandemia;
  • Contribuinte individual da previdência;
  • Microempreendedor individual (MEI)

 

As agências dos Correios solicitam que a pessoa que quer pedir o auxílio emergencial apresente CPF, documento oficial de identidade e dados bancários. Os documentos mostrados devem ser de todos que moram com a pessoa que pedirá o auxílio.

Aplicativo do auxílio emergencial continuará funcionando?

Com certeza: ele ainda poderá ser baixado nas lojas do IOS e do Android. Inclusive, é recomendado que as pessoas primeiro tentem fazer o pedido eletronicamente e que só se arrisquem a ir às agências dos Correios se não conseguirem finalizar a solicitação de auxílio ou se não tiverem internet para isso.




Comentar