Notícias

Greve no INSS 2024: nova paralisação ameaça plano de Lula para redução da fila de espera

Janeiro de 2024 ainda nem chegou e já pode se tornar bem caótico para os cidadãos que estão na fila de espera do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Segundo fontes próximas ao assunto, peritos médicos da autarquia previdenciária já comunicaram ao Governo Federal que poderão realizar uma greve dentro dos próximos dias.

Como é de se imaginar, a paralisação dos profissionais visa melhores condições de trabalho. Diante deste cenário, nesta matéria, você confere todos os detalhes sobre o impasse e o que a ação pode causar em 2024. Portanto, siga a leitura até o fim e entenda o imbróglio.

Quais são as demandas dos peritos do INSS?

  • 1. Aumento salarial

A greve deverá acontecer em janeiro de 2024, caso o Governo Federal não aplique um reajuste de 23% nas remunerações. “Estamos pedindo a recomposição dessa diferença mais o acumulado até agora“, disse Francisco Eduardo Cardoso Alves, vice-presidente da Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP). A categoria foi contemplada por um aumento equivalente a 9% em 2023, assim como todo o funcionalismo público, mas eles alegam que a defasagem ainda existe.

  • 2. Ampliação do corpo empregatício

Além disso, os servidores da autarquia pedem a contratação de 1,5 mil novos peritos médicos, e o cumprimento de um acordo que foi firmado com a gestão anterior, em 2022. De acordo com os representantes dos trabalhadores, hoje, a Previdência contaria com um déficit de 3 mil cargos vagos. Atualmente, é bem sabido que o Brasil conta com aproximadamente 3,6 mil peritos em atividade, mas alguns deles estão afastados.

  • 3. Abolição da perícia online

Os médicos peritos do INSS também afirmaram que são contrários ao processo de implementação da chamada teleperícia. O sistema em questão foi anunciado pelo Ministério da Previdência Social e tem como objetivo realizar as consultas médicas de forma remota por meio de dispositivos como computadores e celulares já em 2024. Para grande parte dos servidores, o Atestemed poderá aumentar o número de fraudes. No entanto, a crítica não consta no documento de demandas que foi enviado à pasta.

Quando começará a paralisação?

A greve está bem perto de ser feita, tendo em vista que os peritos da autarquia já avisaram o Governo Federal que não vão trabalhar, inicialmente, em três datas: 17, 24 e 31 de janeiro de 2024. Nestes dias, os profissionais deixariam de realizar o atendimento médico aos beneficiários do INSS, mesmo para aqueles que estão com consultas previamente agendadas.

Ao que tudo indica, os profissionais deverão esperar por uma resposta do Ministério da Previdência até o próximo dia 12 de janeiro, antes de confirmar se devem mesmo seguir ou não com a paralisação. Todavia, resta aguardar o pronunciamento das autoridades competentes sobre o impasse.

Bruno Gama

Jornalista do Vagas Abertas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo