Mesário voluntário 2020 – Como funciona? Folgas, remuneração

Normalmente, a população associa “ser mesário nas eleições” a receber uma carta de convocação do Supremo Tribunal Eleitoral (TSE). Realmente, isso acontece bastante, mas também há as pessoas que desejam ser mesárias por diversas razõe4s e estas podem se cadastrar como voluntárias.

Contudo, é comum que faltem informações sobre folgas e remunerações quando se trata de ser mesário voluntário. Para as eleições de 2020, já não é possível se cadastrar, mas vale a pena entender mais sobre como ser mesário voluntário para, talvez, fazer isso nas eleições de 2022.

 

Quais são as atividades de um mesário voluntário?

O mesário voluntário tem as mesmas responsabilidades que o mesário que é convocado, o que significa que ele precisa assegurar que o fluxo de eleitores se mantenha sem interrupção e de forma que a privacidade do voto seja sempre respeitada.

Também é responsabilidade do mesário tirar dúvidas dos eleitores a respeito da urna eletrônica e emitir o comprovante de votação para todos que passam pela cabine.

Vale dizer que os mesários voluntários, assim como os que são convocados pelo Supremo Tribunal Eleitoral, precisam estar no lugar de votação antes que esteja seja iniciada e que eles devem continuar ali até que todas as urnas sejam retiradas do local.

 

Tem direito à folga?

Sim: o mesário voluntário pode ficar em casa devido aos dias de treinamento para exercer a função e aos dias de primeiro e segundo turno (se houver). Na verdade, a quantidade de dias de descanso é sempre dobrada.

Isso significa que, se houve um dia de treinamento e apenas um turno eleitoral (dois dias dedicados às eleições), o mesário voluntário pode faltar quatro dias ao trabalho e o seu empregador não pode fazer qualquer tipo de represália.

Isso quer dizer que esse funcionário não vai precisar repor horas depois e nem poderá receber descontos no salário.

 

Recebe alguma coisa?

Já com relação ao recebimento de dinheiro, isso não acontece, até porque o mesário em questão é voluntário. Apesar disso, a Justiça Eleitoral garante a alimentação.




Comentar