O que colocar como objetivo no currículo?

O campo “Objetivo profissional” mostra ao recrutador qual (is) cargo (s) aquele candidato quer preencher, sendo necessário para um processo de seleção organizado. Contudo, ele também pode ajudar a decidir as possibilidades desse candidato: se o objetivo colocado não se encaixa na escolaridade apresentada ou é muito vago, aquele currículo tende a ser descartado.

Também pode causar má impressão o currículo no qual se veem muitos tipos de cargo no “objetivo profissional”. Muitas vezes, o indivíduo faz um curso que o permite trabalhar em vários cargos e essa pessoa coloca todos no seu currículo, pensando que aumentará as chances de ser contratado.

Entretanto, quem coloca tanta coisa como objetivo no currículo dá a entender que não tem habilidades extra em nenhum campo: é o famoso saber um pouco de tudo e não saber nada com profundidade. Dessa maneira, o candidato precisa ser assertivo, ou seja, colocar um objetivo apenas.

O que colocar?

 

  • Apenas objetivos profissionais que se adequem à formação acadêmica e à experiência. Pessoas que desejam começar uma profissão nova podem demorar um pouco mais para ser contratadas se não têm qualquer experiência anterior, nem mesmo estágio;

 

  • Usar clareza: colocar apenas “assistente” não basta para que o recrutador saiba a função que o candidato pleiteia. Mesmo que a sua formação acadêmica seja na área de RH, o gestor não tem obrigação de ficar “juntando informações”: cabe ao candidato escrever “Assistente de Recursos Humanos” no objetivo.

 

É certo colocar “à disposição da empresa” como objetivo no currículo?

Essa alternativa é usada por muitos candidatos que aceitariam qualquer cargo; por exemplo: um indivíduo que é formado em Contabilidade, mas está tendo dificuldades para encontrar um trabalho e, devido a isso, aceita qualquer função vaga que a empresa tenha.

Não se pode dizer que é errado colocar “à disposição da empresa”. Entretanto, uma opção é fazer vários currículos e inserir um objetivo diferente em cada um, como “auxiliar de escritório”, “barman, “representante de vendas” e outras vagas que costumam exigir só o ensino médio ou fundamental.


 




Comentar