Posso desistir do saque-aniversário FGTS 2020

O saque aniversário foi anunciado pelo governo federal em 2019 como uma forma de os trabalhadores terem mais autonomia com relação ao uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Optando pelo saque aniversário, esses cidadãos podem sacar uma parte do fundo anualmente, no mês do seu nascimento.

Todas as pessoas que desejassem, sendo correntistas da Caixa Econômica Federal ou não, podem escolher o saque aniversário, sendo preciso informar isso ao governo e seguir os procedimentos comuns para a retirada.

O que acontece com quem se arrepende de escolher o saque aniversário?

Inicialmente, muitas pessoas acharam interessante receber uma parte do fundo de garantia todos os anos e, por isso, aderiram à possibilidade. Porém, parte dessas pessoas repensou a escolha e manifestaram interesse em voltar ao modelo antigo, mas isso não é fácil.

De acordo com as normas o governo federal, os trabalhadores só podem abandonar o saque aniversário depois de dois anos. Desse modo, quem entrar para essa modalidade em 2020 só poderá voltar atrás em 2022 ou depois disso.

Além disso, o trabalhador que decidir deixar o saque aniversário para voltar ao regime tradicional pode mudar de ideia novamente quando quiser.

O saque aniversário é vantajoso?

Como é preciso permanecer nesse saque por dois anos depois de escolhê-lo, os trabalhadores devem prestar muita atenção aos seus prós e contras. Talvez o que seja mais atrativo no saque aniversário seja a ideia de ter sempre um dinheiro a mais na renda em todos os aniversários.

Apesar disso, quem escolhe essa modalidade está deixando de poupar para o futuro; afinal, os depósitos do FGTS servem como uma poupança para ocasiões de grande necessidade ou de aposentadoria.

Sendo assim, quem começa a retirar uma parte dessa quantia todo ano terá um montante bem menor poupado no final da sua carreira. Portanto, quem tem preferência por guardar dinheiro deve repensar o saque aniversário.

Como revogar o saque aniversário depois de dois anos

Após os dois anos obrigatórios de permanência, é só contatar a Caixa Econômica.




Comentar