Posso ser demitido se me recusar a tomar a vacina do COVID-19?

A expectativa da presença de uma vacina contra a COVID-19 deixa a maioria das pessoas mais tranquila por acreditar que poderão retomar a sua rotina com menos riscos de contaminação.

Contudo, nem todas as pessoas estão interessadas em se vacinar contra o novo coronavírus: há uma parcela da população que não confia nas vacinas e que declara abertamente que não vai se submeter às doses em questão.

Contudo, é claro que as dúvidas a respeito das consequências disso também aparecem: é perigoso não tomar a vacina contra a COVID-19? Quais são as consequências no trabalho, por exemplo?

Uma das maiores dúvidas é se existe o risco de perder o emprego por se negar a ser vacinado e isso será esclarecido agora.

 

Sem obrigatoriedade

Apesar de uma parte da população ter interesse em transformar a vacina contra a COVID-19 algo obrigatório, isso ainda não aconteceu. Sendo assim, como as pessoas não são obrigadas a fazer uso da vacina, não existe nenhuma punição para quando elas decidem não se vacinar.

Considerando esse aspecto, o empregador não pode mandar o funcionário embora se ele não for imunizado.

 

Na prática, empregadores podem agir diferente

Contudo, é importante que os funcionários entendam que os empregadores podem sim manda-los embora ou até recusá-los em uma entrevista por causa dessa situação, mas alegando outra coisa.

O motivo é que uma pessoa que não está vacinada contra o coronavírus pode ser considerada um risco para o ambiente de trabalho. Afinal, ela poderia se contaminar com o vírus e leva-lo para dentro da empresa: mesmo que os demais funcionários estejam vacinados, não é bom ter o coronavírus contaminando o ambiente.

 

A vacina já tem data para ser aplicada?

Mesmo com vários países já ocupados realizando a vacinação, o Brasil ainda não divulgou nenhum plano concreto para isso. A exceção fica com o Estado de São Paulo, que pretende iniciar em 25 de janeiro as suas vacinações.

No começo, somente pessoas do grupo de risco e profissionais da saúde serão vacinados.