Principais golpes na hora de buscar emprego

As pessoas que estão em busca de emprego estão acostumadas a ver diversos tipos de anúncios de vagas, até mesmo para outros países. Muitas vezes, esses anúncios parecem mostrar oportunidades imperdíveis, que trarão melhora financeira e também satisfação pessoal, mas nem sempre é assim.

Muitas vezes, esses anúncios são somente chamarizes para golpes, tanto financeiros quanto de cunho mais grave, como até o tráfico de pessoas. Por causa disso, todos os que procuram pela vaga dos sonhos precisam ter atenção e ficar desconfiados no caso de verem algo suspeito no anúncio. Conheça os principais golpes na hora de buscar emprego.

Suposto empregador oferecer curso pago

É comum visualizar vagas onde o recrutador diz que a pessoa precisa ter um curso específico e até oferecer esse curso. No entanto, não é de graça: esse candidato tem de pagar a matrícula ou então um custo único pelo curso inteiro, havendo os que cobram apensas pelo suposto material.

O problema é que as pessoas fazem esse curso com a “garantia” de que serão contratadas e, depois de tudo, o recrutador some. Ou seja, o trabalhador realiza um curso que não queria fazer por causa da promessa de que seria contratado quando se tratava de um golpe apenas para conseguir o dinheiro.

Quando pedem informações bancárias

É claro que os empregadores vão pedir as informações bancárias para que o salário seja depositado. Porém, existem algumas solicitações de vaga que já pedem dados como a conta do banco e trata-se de um golpe: para que o recrutador quereria uma informação bancária do candidato se ainda não tem de depositar nada para ele?

Há pessoas que fornecem o número da conta porque, como a senha não está sendo requisitada, não parece perigoso. No entanto, não se deve nunca conceder qualquer informação bancária antes de registro em carteira.

Trabalho no exterior

Essa é a ferramenta para o tráfico de pessoas e podem englobar países variados e, principalmente, indivíduos mais novos. Uma das funções oferecidas pode ser de babá ou então a de modelo fotográfico.

E você já foi vítima de algum golpe parecido? Conte nos!


 



Comentar