Qual profissional terá prioridade na vacinação do Covid-19?

Com o final do ano de 2020 se aproximando, as notícias positivas sobre possíveis vacinas diferentes para serem aplicadas contra o vírus do Covid-19 têm surgido aos montes, dando certa esperança para a retomada da vida como ela era antes da pandemia que assolou o mundo todo.

Várias empresas que estão produzindo vacinas para esse fim já estão anunciando os resultados positivos de seus testes que se encontram em fase final. Inclusive, já existem algumas em estágio ainda mais avançado, já tendo sido liberada sua aplicação na população.

Vacinação contra a gripe Influenza em postos de Drive-Thru, no Lago Norte . Sérgio Lima/Poder360 24.02.2020

Nesse cenário de grande desenvolvimento de vacinas de diferentes empresas e da movimentação de governos ao redor de todo o mundo para procurar requerer uma quantidade da dose que possa satisfazer as necessidades locais de cada governo, muitas questões vêm à tona sobre a aplicação das vacinas.

As vacinas serão liberadas para todos logo?

A questão que primeiramente vem à cabeça de todo o cidadão é: quando as vacinas estarão disponíveis? Pois bem, elas podem até ficar disponíveis para aplicação em um período próximo, mas não para o público em geral, tendo seu acesso priorizado a camas específicas da sociedade.

No Brasil, o Ministério da Saúde já confirmou no início do mês de dezembro sua estratégia preliminar de prioridade na distribuição e aplicação da vacina contra o Covid-19, sendo dividido o respectivo plano em quatro etapas.

Quem terá prioridade para a aplicação das vacinas contra o Covid-19?

Primeiramente, os profissionais de saúde serão o foco, já que possuem contato com a doença de maneira mais corriqueira. Juntamente nessa primeira fase, será vacinada a população idosa com 75 anos ou mais, as pessoas de mais de 60 anos que vivem em asilos ou instituições psiquiátricas e a população indígena.

A segunda fase priorizará as pessoas de 60 a 74 anos, enquanto a terceira focará em pessoas que possuírem doenças crônicas que apresentam maior chance para piorar o quadro após já ter contraído o vírus.

A terceira fase priorizará professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e quem está privado de liberdade.

Ainda não existem datas confirmadas, mas os trâmites para agilizar o processo estão sendo tomados a todo vapor!