SINE Lapa (PR) – Vagas de emprego Hoje

Lapa é uma cidade que se encontra no Paraná, a 62 quilômetros de Curitiba e com ótimo Índice de Desenvolvimento Humano. Chamada também de “Cidade Legendária”, ela foi fundada em 1769 e fica perto de Antonio Olinto, Balsa Nova, Rio Negro, São João do Triunfo e outras regiões. Possui 48.163 moradores e gera internamente 27,5% do seu Produto Interno Bruto.

Setores com mais empregos em Lapa

A principal fonte da economia lapeana é a agricultura, com destaque para o pêssego. Na realidade, esse tipo de cultivo também acaba por gerar trabalho na indústria, já que a Lapa produz bastante derivados do pêssego, como as geleias. Com 2,2 salários mínimos como média de ganhos, os trabalhadores trabalham em funções ligadas ao turismo.

Vagas

Quem procura por oportunidades na cidade da Lapa encontra-as acessando o Portal Emprega Brasil: https://empregabrasil.mte.gov.br/. De uso gratuito, o site tem vagas para pessoas de todas as escolaridades e o governo federal solicita somente o cadastro da pessoa na plataforma Gov.br; para isso, basta acessar o link acima e clicar em “Vagas de emprego”.

Uma opção para os trabalhadores lapeanos é ir até a empresa com o seu currículo e entregá-lo. Isso pode ser feito em empresas grandes e pequenas e, se estiver ocorrendo processo seletivo, a pessoa é informada.

As vagas na cidade da Lapa são mostradas também no Sistema Nacional de Empregos (SINE). O trabalhador, porém, precisará ter certos documentos para se cadastrar: documento oficial de identidade com foto, comprovante de residência, CPF e comprovante de escolaridade.

Esse mesmo cadastro permite ao lapeano baixar e usar o app SINE Fácil quando quiser se candidatar. Os murais físicos do SINE também ficam sempre liberados para o trabalhador.

SINE em Lapa

O cidadão deve contatar a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho pelo (41) 3210 2411 ou pelo http://www.justica.pr.gov.br/. Um órgão semelhante é a Agência do Trabalhador e seu telefone é o (41) 3622 3483; na Lapa, ela está na Rua Barão do Rio Branco, n° 1.800.




Comentar