Tipos de empregos em que mentirosos se dão melhor

Apesar de a sociedade valorizar a verdade, é claro que a maioria das pessoas mente às vezes. Por incrível que pareça, existem alguns empregos para os quais um dos requisitos avaliados pelos gestores é a capacidade de mentir um pouquinho. Serão listados neste texto os tipos de empregos em que os mentirosos se dão melhor.

Deve-se deixar claro que nem todas as pessoas que trabalham nas funções abaixo são mentirosas. Além disso, o grau de mentira também é leve: os profissionais não podem causar prejuízos aos consumidores, ou seja, não se trata de mau-caratismo. É necessário manter a ética e tomar cuidado também para que as mentiras não justifiquem até um processo, dependendo da sua gravidade.

Corretores de imóveis

Os corretores de imóveis tem necessidade de convencer o cliente a ficar com aquele imóvel e, nem sempre, este é totalmente vantajoso: pode estar perto de uma rua barulhenta, estar precisando de uma pintura, etc. Mesmo assim, o corretor que consegue “mentir” para o cliente convencendo-o de que o lugar não é tão barulhento assim pode faturar a venda.

Vendedores

Os vendedores são muito parecidos com os corretores de imóveis: afinal, eles não costumam dizer aos clientes que determinada roupa não está caindo bem porque elas não farão a compra. Dessa forma, é normal que os vendedores contem pequenas mentiras, como assegurar que aquele sapato ficou muito bonito ou que determinada bolsa é muito durável, etc.

Produtos financeiros

Os funcionários dos bancos quase sempre oferecem investimentos, seguros, abertura de contas, cartões e muito mais aos correntistas, assegurando que são produtos baratos e muito úteis. Mais uma vez, é importante ser um “bom mentiroso” para convencer alguém que já tem três cartões de crédito, por exemplo, a solicitar mais um.

As vendas que envolvem produtos financeiros merecem uma observação especial: os mentirosos precisam tomar cuidado para não induzirem os clientes a um prejuízo grande. Por exemplo: o corretor de ações não pode instigar o cliente a fazer qualquer investimento só para agradar ao banco ou corretora.






Comentar