Vagas de emprego para prensista

Os prensistas são os trabalhadores responsáveis pelo manuseio de equipamentos de forja metálica; não são eles quem forjam, mas sim quem realiza a calibração necessária. É necessário ter o ensino médio para ser um prensista e muitos desses profissionais, antes, exerciam a função de operador de máquinas.

Todas as empresas que precisam de forja metálica também precisam de um prensista, por consequência. O salário inicial para esse cargo costuma ser de R$ 1.230,00 e os que apresentam mais experiência recebem R$ 1.750,00 ou mais. Além do ensino médio, os profissionais podem ter cursos para prensista, que abordam o uso de equipamentos e as técnicas.

Vagas

Os prensistas podem se candidatar às empresas que querem pessoalmente. Para fazer isso, eles têm de acessar o site delas e procurar pela área onde elas cadastram novos currículos; além disso, é comum os prensistas deixarem currículo na portaria de cada empresa.

Há um site público e de alcance federal que esses profissionais podem utiliza: é o Portal Emprega Brasil. O primeiro passo é abrir o link https://empregabrasil.mte.gov.br/e rolar um pouco o site até surgir o quadro “Vagas de emprego”. Nele, o prensista vai selecionar a região onde mora ou para a qual tem fácil acesso.

As agências de emprego, que recebiam tantos profissionais em busca de colocação no país inteiro, não deixaram de existir. Entretanto, elas mantêm o banco de currículos virtual: a pessoa tem de escrever “agências de emprego” e a sua região no Google, cadastrando-se no site de cada uma.

Os prensistas podem ir também ao Sistema Nacional de Empregos (SINE) da sua região levando os documentos pessoais e, preferencialmente, um currículo. Assim, eles poderão se candidatar a qualquer empresa da cidade e, se quiserem tentar vagas em fábricas de outros municípios, devem ir ao SINE destes.

O Portal Emprega São Paulo é outra solução para quem almeja ser prensista nesse Estado. O site éhttps://www.empregasaopaulo.sp.gov.br/imoweb/e as vagas cadastradas ficam em cinco perfis diferentes, incluindo “pessoas com deficiência” e “estudantes de até 21 anos”.




Comentar